sexta-feira, 16 de maio de 2014

Meu Querido Blog...

Com 0 Comentario
Pois é, galera. Sou eu, a Lari. Reapareci, ressurgi das cinzas como uma fênix. É, a vida anda muito louca. O título deste post não somente parece o famoso clichê "Meu Querido Diário", como é algo mais ou menos assim, mesmo. 
Sei que prometi voltar assim que tivesse algo muito interessante para contar para vocês... até voltei, falei um pouco dos meus cabelos (que continuam os mesmos) e também sobre a dieta que estava seguindo - estava, pois acabei ficando doente e decidi, então, somente reeducar minha alimentação. Deu certo, e lá se vão 12 quilos... Mas depois disso, nunca mais voltei. Nunca mais teve Hanson MMMonday, nunca mais teve dica de organização e nem falei mais sobre cuidados e carinhos com os shih tzus. Sim, eu sei de tudo isso. 
Acontece que chega um momento em nossas vidas onde as prioridades tomam conta. Eu, como todos que me conhecem sabem, sou uma pessoa extremamente responsável, me cobro em excesso e acabo pagando por isso várias vezes. Fico muito ansiosa, estressada e nervosa com tudo o que não tenho controle. Tá aí, algo que tenho que aprender a controlar... Controlar não ter o controle. Estranho, né? Mas é verdade. 
Esse ano na faculdade está puxado. Deve ser difícil de entender, pois todas as faculdades exigem certa dedicação, esforço, suor e até algumas lágrimas. Mas posso dizer, com todo o embasamento possível, que a medicina, aquela que se faz de verdade e por amor, pede muito mais que dedicação. Pede amigos que lhe compreendam, que saibam que você tem estudado muito e passado noites terríveis, que tem tido pesadelos com provas,  e que saibam que você dá tudo de si simplesmente para poder estudar. Pede pais amorosos e que te apoiam, e isso, eu tenho de sobra. Pede tempo. Um tempo que muitas vezes eu mesma acho que não tenho. Aperta daqui, resume dalí e tcharammm... aprendi a criar tempo. Não é fácil, mas muitas vezes, é assim que a gente se vira. 
A medicina é maravilhosa. Te faz enxergar o mundo com olhos diferentes. Nos faz dar valor à vida, mas também compreender que, algum dia, ela acaba. Não, a medicina não nos faz insensíveis. Somente mostra a realidade, que pode ser dura, mas continua sendo realidade. 
Tive, e ainda tenho, que aprender a lidar com isso. São tantas as coisas que quero poder fazer... Mas maior ainda é a minha vontade de poder viver a medicina. Então, vou tocando da melhor forma que posso, contando com um apoio infinito dos meus pais e também dos verdadeiros amigos. Essas horas também servem para isso, saber quem realmente importa na sua vida, e dar valor às pessoas certas. Conviver nunca foi fácil, já diria eu em um post perdido aqui no blog, mas é necessário. 
Então, tá mais ou menos explicado o motivo do meu sumiço. Tenho passado por pequenos focos de incêndio, e, como diria uma amiga minha, "vamos apagando um de cada vez". 
E se você chegou até aqui, obrigada. Vou deixar com vocês uma música que tem feito meus dias melhores e mais alegres. E pasmem, não é dos Hanson. Ahh, eles também têm me ajudado muito, mas acho que isso é assunto para um "Hanson MMMonday". 



Beijinhos, 
Lari.

+1

0 comentários:

Postar um comentário

Postagem mais recente Postagem mais antiga Página inicial
Tecnologia do Blogger.