sábado, 12 de julho de 2014

Confissões da Madrugada: Tatuagem

Com 0 Comentario
Isabella Peixoto tatuando com Alexandre Tostes

Há um tempo atrás, quando trabalhava no Autoscar, escrevi um post que falava sobre tatuagem e contava um pouco da minha experiência sobre o assunto e depois briguei por causa da história de que "mulheres tatuadas são promíscuas". Na época, eu tinha acabado de fazer a segunda, retocar a primeira e estava super empolgada. O tempo passou e eu continuo amando tatuagem, e ganhando mais tinta no corpo lenta e alegremente.

Com o tempo, e o aumento da quantidade e do tamanho, algumas perguntas ficaram frequentes e eu achei legal falar novamente sobre isso aqui, no nosso Uai, Meu!. Eu li algumas coisas net afora, vi alguns vídeos, tudo pra saber se as perguntas que ouço são comuns a todos os tatuados. Cheguei à conclusão que sim, a maior parte delas é quase um clichê pra quem tem tattoo.

As perguntas


1. Você se importa que as pessoas fiquem olhando ou façam perguntas?

Não, eu não me importo. Mas acho que sou um caso raro. A maior parte dos meus amigos tatuados se incomoda com os olhares excessivos e com a perguntação. Eu acho até divertido pra dizer a verdade. Gosto de ser notada e as tattoos são importantes nisso. É como se maquiar ou pintar o cabelo pra mim, faço por mim, pra me sentir bonita, mas claro que fico feliz se alguém faz um elogio. Quanto aos comentários negativos, que foram poucos até hoje, eu rio e respondo "Gosto é que nem cotovelo: cada um tem os seus e ninguém consegue lamber". Ahuahuiahuai...

2. Você se arrepende de alguma das suas tatuagens?

Tatuagem do The Hellacopters

Não. Me arrependo da escolha do primeiro tatuador, que foi antiético e é um babaca. Fez questão de ficar apalpando a minha bunda e eu não sou a única a reclamar que o cara é tarado.

3. Você se importa de dar dicas sobre o tema?

Nem um pouco. Não gosto de ajudar a pessoa a escolher o desenho, porque acho muito subjetivo, mas qualquer outra dúvida, se eu souber esclarecer, respondo sem problemas.

4. Você teve mais dificuldade para arrumar emprego depois das tatuagens?

Não, porque posso esconder todas elas e, mesmo que não pudesse, de lá pra cá só trabalhei em empresas da área de publicidade e propaganda, que são mais abertas quanto a isso. E hoje sou dona da Royale Rock Wear e jornalista responsável pela Revista AUP!, ambos os casos em home office, então trabalho de pijama se quiser. Rsrs...

5. O que significam suas tatuagens?

Tatuagem inspirada na capa do Shout It Out

Acho que essa é a pergunta mais chata que um tatuado pode ouvir. Eu respondo numa boa, mas uma versão curta do significado e que varia de acordo com a pessoa com quem estou falando. Pode ser "São os três símbolos que estão na capa do álbum Shout It Out, do Hanson. Escolhi tatuar algo relacionado a essa banda porque ela representa minha ligação com o que é familiar e tradicional pra mim e porque me remete a minha infância e a todas as coisas e pessoas que o Hanson acrescentou à minha vida" ou pode ser "É um megafone, uma nota musical e um rádio. Porque gosto de comunicação e música". Nenhuma das duas coisas é mentira, mas tenta explicar quem é Hanson ou que eles "ainda existem" pra sua tia avó, por exemplo.

6. Posso fazer igual?

Claro que pode. Como eu poderia te impedir? Mas eu não vou te dar o desenho que usei, não vou te mandar o link dele e nem ligar pro meu tatuador falando que você vai dar uma passadinha por lá. Copiar não é proibido, mas é bem feio.

7. Tatuar dói?


Claro que dói. Pra algumas pessoas mais, pra outras menos. No meu caso eu sempre digo que de 1 a 10, dou nota 3 no quesito dor (e eu não uso anestésico mais). A última me deu uma leve queda de pressão, mas também foram 3h ininterruptas de tatuagem. Chega uma hora que a pele tá ferida e você cansado. É normal.

8. Quem fez as suas tatuagens?



A primeira (a nuvem com o raio vermelho do The Hellacopters) é de um tatuador em quem confiei por ser uma indicação, mas que foi um idiota comigo. Então, apesar da minha vontade, não vou ser tão antiética quanto ele e dar nome ao boi no blog. Se alguém quiser saber, me pergunte por e-mail. Retoquei ela com o Alexandre Tostes, que fez as outras duas (os símbolos do Hanson e o cartoon inspirado na Beyoncé). O Tostes tatua no estúdio Tigre de Fogo (que fica na R. Machado de Assis, nº 501, Loja 08) e é um baita artista. Ele também é o responsável por algumas tatuagens de outras pessoas da minha família, todas incrivelmente lindas. Falo sempre que sou muito fã do trabalho dele.

9. Pretende tatuar mais?

SIM! Todo mundo sempre me disse que eu deveria variar de tatuador, mas eu nunca confiei em ninguém além do pessoal do Tigre de Fogo. Acontece que um dos meus melhores amigos, Allan Fagiani, voltou a tatuar e me agraciou com uma tattoo nova em troca de um help na divulgação do estúdio dele, o Goblin's Ink, o que eu faria de qualquer forma, by the way. Rsrs... Vi vários trabalhos dele e estou bem animada! Acho que semana que vem conseguiremos fazer nossas agendas baterem pra marcarmos. Fico feliz de poder ter dois tatuadores talentosíssimos e super éticos pra indicar.

Eu quase sempre concordo com ele


Pra finalizar, não poderia deixar de postar esse vídeo do PC Siqueira, que é alguém de quem eu já gostava antes de conhecer pessoalmente, mas que passei a curtir ainda mais depois que esbarramos no Dexter Pub Uberlândia. Eu raramente discordo de algo que ele diz e acho que esse vídeo reforça tudo o que eu penso sobre tatuagem. Assistam que vale muito a pena!


Bjoko,

+1

0 comentários:

Postar um comentário

Postagem mais recente Postagem mais antiga Página inicial
Tecnologia do Blogger.